Onboarding remoto: os principais erros que a maioria dos profissionais comete




Muitas empresas que eu conheço, independente do tamanho e do segmento, estão precisando fazer onboarding remoto. Inclusive, tenho certeza que, se cuida desta rotina e está contratando, a pandemia está forçando você a tocar a integração à distância.


Eu sempre gostei de usar ferramentas para facilitar o meu dia-a-dia de trabalho, inclusive no onboarding. Já apresentei slides em salas cheias, mas sempre estive atenta às possibilidades do ambiente digital.


Como a maioria, comecei arriscando pouco. Nas contratações, por exemplo, me limitava a enviar a lista de documentos para admissão por e-mail.


Até que fundei a SeniorUp | O talento certo para a sua empresa crescer e isto foi o grande ponto de virada. Nossas primeiras seleções ainda eram mistas, mas logo passaram a totalmente remotas para maior agilidade e melhor experiência de empresas e candidatos.


De lá pra cá, fui aperfeiçoando as técnicas. Percebi o quanto o executar e entregar um trabalho de qualidade não tinha nada a ver com estar presente fisicamente!


Mas fiz essa introdução toda só para compartilhar com você os principais erros que a maioria dos profissionais comete ao fazer onboarding remoto. Acredite: por ainda ser novidade, as falhas têm sido comuns.


E eu sei, mais do que ninguém, que um bom acolhimento faz toda a diferença, especialmente, no trabalho remoto durante uma quarentena!

Então, veja quais são esses erros e como você pode parar de cometê-los hoje mesmo, seja na empresa em que trabalha ou em sua própria empresa.


Erro #1

Iniciar o onboarding remoto somente no primeiro dia de trabalho


Acha que o onboarding começa no primeiro dia do colaborador ou colaboradora? Na verdade, um programa de integração bem-sucedido tem início na seleção e na contratação.


Esqueça aquele template-padrão, em que só os dados básicos da vaga são divulgados. Forneça também informações detalhadas a respeito da empresa e da equipe.


Conte a história da sua empresa. Além disto, informe missão, visão e valores, quer dizer, o motivo da empresa existir, aonde planeja chegar e jeito de ser.


Na realidade, você deve oferecer a candidatos e candidatas uma visão geral sobre como é trabalhar na sua empresa. Realce cultura, trabalhos de responsabilidade socioambiental, ações da equipe, entre outros pontos.


Mas como fazer isto? Na página de carreiras da sua empresa na web, use conteúdos para mostrar os olhares das lideranças e do time.


Por exemplo, como são os escritórios ou home offices? O que ocorre nos bastidores e eventos? E mais: permita que a equipe faça narrativas autênticas.


Já no primeiro clique do mouse, as pessoas devem visualizar informações como estas. Assim, elas poderão avançar para as etapas seguintes conhecendo a sua organização.


Já durante o processo de contratação, você pode enviar e receber documentos e assinar os contratos à distância. Existem sistemas específicos para facilitar e centralizar estes afazeres, mas também existem e-mail, WhatsApp e scanner.


A esta altura, você pode enviar materiais mais extensos, como, por exemplo, um manual da cultura organizacional. Desta forma, o primeiro dia de trabalho não ficará pesado.


Erro #2

Não planejar o onboarding remoto e já partir para a execução


Com os prazos cada vez mais apertados, é normal pular da contratação direto para o primeiro dia de trabalho. O problema disso é que você prejudica a performance de quem está chegando e os resultados da sua empresa.


Comece a delinear o programa de integração pensando nestas três esferas: empresa, setor e função. Em seguida, você precisa pensar nas questões a seguir.